Gabriel Dias: pronto para provar seu valor na Seletiva

 

Vice-campeão pan-americano, campeão sul-brasileiro, líder do campeonato paulista, recordista de poles na atual temporada, oito vitórias conquistadas em dez corridas, seis delas consecutivas. O nome de Gabriel Dias, de 14 anos, ganha cada vez mais força na modalidade. Sua última conquista foi o Open Minas, em Ipatinga (MG), torneio que serviu de preparação para o Campeonato Brasileiro de Kart, marcado para o fim de julho. Ele foi o grande destaque do fim de semana: caiu de segundo para sétimo na largada da primeira bateria, fez uma prova de recuperação, chegou em terceiro e deu a volta por cima vencendo a segunda corrida da programação. O título rendeu mais do que apenas troféu e champanhe. Gabriel Dias conquistou uma vaga na final da Seletiva de Kart Petrobras, na categoria Graduados B, e disputará o prêmio de R$ 18 mil oferecido ao campeão do evento, previsto para o mês de dezembro, em Brasília (DF). O dinheiro pode ajudá-lo na passagem para a Graduados A, último degrau antes da estréia no automobilismo. Ele parte em busca do cheque com a mesma determinação que lhe deu tantos títulos recentemente. A determinação de quem sabe o que quer.

 

Como foi o início da sua carreira?
O meu pai corria de kart e sempre gostei de acompanhar as provas dele. Quando já estava um pouquinho maior, comecei a andar também, só de brincadeira, aos cinco anos de idade. Aos sete eu ganhei meu primeiro kart e aí a coisa ficou mais séria, disputei campeonatos, conquistei títulos, fui campeão brasileiro na Júnior Menor e cheguei a morar sete meses fora do Brasil, competindo nos Estados Unidos.

 

Você acredita que este é o melhor ano de sua carreira?
Sem dúvida. Estou numa categoria nova, correndo contra pilotos muito mais experientes e mesmo assim os resultados estão aparecendo. São oito vitórias em dez provas, sendo que abandonei duas corridas quando estava na liderança. Estou aproveitando o meu momento.

 

Como foi o fim de semana em Ipatinga?

Começou bem difícil. Eu larguei em segundo, por fora, e como a primeira curva é muito rápida a vantagem é de quem está por dentro. Perdi muitas posições ali, cai para sétimo e foi uma loucura. Precisei me arriscar para chegar nos líderes e o objetivo era terminar pelo menos entre os quatro melhores. Consegui ficar em terceiro, na posição ideal para largar. A segunda bateria foi do jeito que eu queria: pulei pra segundo na largada, passei sete voltas pressionando o Tales Dias e quando ele menos esperava eu ganhei a posição.

 

Quando você percebeu que poderia ficar com a vaga?
Logo depois da ultrapassagem sobre o Tales Dias. Percebi que ele se desesperou e acabou perdendo outras posições. Como já conhecia as reações dele, tive certeza que estava no caminho certo para ficar com a vaga. Ele acabou chegando em quarto.

 

Qual a importância da Seletiva de Kart Petrobras na sua carreira?
Fiquei muito animado quando soube que os pilotos da Graduados B também poderiam disputar um prêmio na Seletiva de Kart Petrobras. A imprensa sempre dá muito destaque para os finalistas e estar entre os melhores do Brasil é uma oportunidade importante para a minha carreira. Tenho um projeto de pular para a Graduados A no ano que vem e espero poder contar com este prêmio.

 

Você conhece o equipamento que será utilizado na final da Seletiva de Kart Petrobras (chassi Birel e motor Biland quatro tempos)? 
Eu tenho um Biland em casa, uso para treinar de vez em quando. Conheço a tocada do motor quatro tempos, mas não sei como meus adversários, que são muito fortes, vão se comportar com o equipamento. É um desafio para todo mundo, porque estamos muito acostumados com o motor dois tempos, que permite uma pilotagem mais arrojada do piloto. Com o quatro tempos você precisa guiar redondinho, não dá para errar. Nunca competi oficialmente com este tipo de propulsor, mas usei um parecido nos Estados Unidos e me dei bem.

 

O que você espera da final da Seletiva de Kart Petrobras?
Espero uma disputa muito apertada e quero aproveitar a igualdade de equipamentos para mostrar meu valor, tentar acabar de vez com os comentários de que eu ando bem porque tenho o melhor kart. Se eu tenho, méritos para a mim e para a minha equipe, que trabalhamos juntos o tempo todo. Na Seletiva de Kart Petrobras vou poder provar que a minha capacidade de acerto é o que tem.