GABRIEL PATURLE, finalista Seletiva de Kart Petrobras 2016

 

 

 

O mineiro Gabriel Paturle, de 16 anos, foi o primeiro piloto a garantir vaga para a final da Seletiva de Kart Petrobras 2016 ao vencer a primeira bateria da Taça Minas Gerais, no dia 10 de setembro. Confira a entrevista com o piloto e suas expectativas para participar da decisão da 18ª edição.


1. Você já tinha tentado se classificar para a Seletiva de Kart Petrobras em 2015, no Maranhão, e agora finalmente conquistou a vaga e correndo em casa. Como está a expectativa para a decisão?

Estou muito ansioso e também muito confiante para a decisão da Seletiva. Venho em uma boa fase e isso aumenta ainda mais minhas expectativas.


2. A disputa da final da Seletiva tem um regulamento particular. Já chegou a olhar como funciona? Como pretende se preparar e quais campeonatos vai disputar até lá?

Sim, já olhei o regulamento, inclusive já vi uma final da Seletiva alguns anos atrás e pude ver de perto como funciona. Até lá, irei me dedicar a aprender ainda mais sobre os acertos do kart, pois isso fará uma grande diferença. E também irei participar da Copa do Brasil e sempre buscando aprender cada dia mais.


3. A final da Seletiva deste ano já tem três mineiros na decisão, um recorde. Como você vê hoje o kartismo no estado? Tem crescido nos últimos anos?

Sim, vejo que o kartismo está crescendo cada dia mais em Minas Gerais, e uma prova disso é esse novo recorde, onde três mineiros disputarão a final da Seletiva de Kart Petrobras.


4. Você está em sua primeira temporada na Graduados e conquistou no Brasileiro de Kart a pole position. Conte um pouco sobre sua carreira, como começou e as principais conquistas.

Meu irmão mais velho já corria de kart, então logo quando ele parou, pedi ao meu pai para eu andar uma vez, pois sempre gostei de velocidade e adrenalina. Dei algumas voltas e adorei aquilo. Daí comecei a sempre ir ao kartódromo treinar até que então comecei a participar também das corridas.


5. Quais os seus objetivos para o futuro da sua carreira? Como imagina sua trajetória no esporte?

Meu grande sonho, como de qualquer outro piloto, é chegar à Fórmula 1, porém sei das dificuldades e, além disso, do investimento financeiro necessário para se chegar lá, e infelizmente, no momento, não tenho essas condições. Porém, também tenho o sonho de viver do automobilismo, ou seja, trabalhar com isso, me tornar um grande piloto no automobilismo, e para isso, sei que existem outros caminhos, como, por exemplo, a Stock Car, que é a principal categoria do automobilismo brasileiro e vem crescendo cada vez mais.