Guilherme de Conto: de olho na Stock Car
 
Aos dezoito anos de idade, o paranaense Guilherme de Conto vai disputar o prêmio da Seletiva de Kart Petrobras pela terceira vez na carreira, tentando repetir as conquistas de 2005 e 2006. Atualmente afastado do automobilismo, ele busca o cheque para facilitar seu caminho rumo à categoria de base da Stock Car, a Copa Vicar, seu principal objetivo no momento. Receita, ele diz que não tem. Mas revela um dos segredos de suas conquistas. “Você precisa se dedicar o máximo possível desde o início”.
 
Como foi a decisão de tentar a vaga na Seletiva de Kart Petrobras?
Eu tentei correr na Copa Vicar neste ano, mas ficou financeiramente inviável, então me concentrei em disputar alguns campeonatos de kart e tentar me classificar para a final da Seletiva. E pretendo brigar pela vagas enquanto eu tiver idade. Estou em busca do dinheiro que pode ajudar minha carreira e da exposição que só este título traz.
 
Como está sua carreira no momento?
Estou andando apenas de kart, me preparando para a final. Dei mais atenção aos estudos e ao trabalho. 
 
E o que espera neste seu retorno à final?
Com certeza, será bem difícil, a lista está cheia de pilotos rápidos. Os classificados, se você parar para pensar, são os melhores do Brasil, porque nas etapas só passam o primeiro e o segundo, quando muito. 
 
Quais os garotos que você aponta como seus principais adversários?
Um que incomoda é o Felipe Guimarães, que é experiente e bem rápido também. Mas eu respeito todos da mesma forma. 
 
Você ganhou o prêmio duas vezes. Existe alguma receita?
A igualdade de equipamentos faz com que o talento do piloto apareça em destaque não só na tocada, mas também na preparação do kart, aproveitando o pouco que se pode mexer no acerto. Então acho que o segredo é se dedicar o máximo desde o início e estar bem psicologicamente, já que envolve dinheiro e muita pressão.