ENTREVISTA – João Vieira – de primeira





Campeão da Seletiva em 2012, na única vez em que participou. Foi o atleta mais novo a vencer (tinha acabado de completar 15 anos).

 

O piloto destaca a importância da iniciativa da Seletiva de Kart Petrobras. Nascido na cidade de Gurupi, no interior do Tocantins, a mais de 200 km da capital Palmas, reconhece que em seu estado há poucas chances de praticar o automobilismo e quer se mudar para uma grande capital para treinar e se preparar. Mas leva consigo o orgulho de representar o Estado, e quer continuar fazendo isso, da melhor forma, mundo a fora.

 

 

1 - O que significou para você ter conquistado o título da Seletiva?

Foi bem legal. Esse é um título bastante importante e todos os pilotos querem ganhar. Para mim foi legal porque me deu mais credibilidade.

 

2 - Como isso ajudou em sua carreira?

Acho que foi na questão de respeito e visibilidade. Depois que ganhei a Seletiva senti que os outros pilotos têm mais respeito por mim. Claro que as competições continuam disputadas, mas passei a ser visto de forma diferente. E isso é bom.

 

 

3 - Como utilizou a premiação?

Meu pai que administra esse dinheiro. Mas tem sido usado na minha carreira no kart. Compramos um shifter e eu tenho participado de competições nessa categoria e também na Graduados.



4 - Como você avalia a importância da iniciativa da Petrobras e da Petrobras Distribuidora de apoiar o kart?

Acho que hoje é o único e principal apoio que a gente tem. Com certeza é bem importante, porque o automobilismo é um esporte caro e sem esse apoio da Petrobras e da Petrobras Distribuidora seria praticamente impossível para a maioria dos meninos ter uma continuidade no esporte. Hoje todo mundo treina para ganhar a Seletiva.



5 - O que espera para seu futuro no automobilismo?

O sonho de qualquer piloto é chegar na Fórmula 1. E é isso que eu quero. Vou buscar esse caminho para chegar lá. Não é fácil, mas espero conseguir. Outras alternativas para se tornar um profissional são a Nascar ou a Indy nos Estados Unidos, que são as categorias americanas mais importantes. Mas, quero tentar primeiro o caminho da F-1. Ainda neste ano vou começar a treinar de fórmula, e me esforçar bastante, quando eu estiver ‘pronto’ e preparado, devo ir para fora do país (quero Europa) para focar no objetivo.



6 - Que recado/dica você daria para os meninos que vão disputar a final da Seletiva neste ano?

Acho que é importante eles saberem que não é só sentar no kart e acelerar. Tem que ter estratégia, conhecer o regulamento. Recomendo que leiam bastante as regras e estudem. É importante ter calma e concentração. Acho que tudo isso pode ajudar. É uma pena que o regulamento mudou e os campeões dos outros anos não podem mais disputar.

 

 

 


 

 

 

 

 

/body>