TETRACAMPEÃO BRASILEIRO VOLTA AO KART EM ANÁPOLIS

14/09/2006
Foram quatro títulos brasileiros, um vice-campeonato panamericano e duas participações no mundial de kart. A trajetória do mineiro Clemente Faria Jr. na modalidade, que parecia encerrada com sua estréia no automobilismo, pela Fórmula 3 Sul-Americana, ainda tem um espaço para ser preenchido. O desejo de vencer a Seletiva de Kart Petrobras, o maior prêmio do kartismo nacional, trouxe o piloto de volta ao kart especificamente neste fim de semana. Ele fará uma participação especial neste domingo (17), em Anápolis (GO), em busca de uma vaga na final do evento. Quem vencer a corrida na categoria Graduados estará automaticamente classificado para a final, marcada para o fim do ano, em Curitiba (PR), oferecendo um prêmio de R$ 74 mil ao campeão e mais R$ 8 mil ao vice, como forma de incentivo para a carreira. Apesar da importância do dinheiro para o orçamento de qualquer piloto, o que mais motiva Clemente Faria Jr. é a possibilidade de vencer um torneio que reúne os doze principais pilotos do continente em igualdade de condições. “Gosto demais do formato da Seletiva e seria importante para a minha carreira conquistar este título”, afirma o piloto. Clemente Faria Jr. esteve por duas vezes na final da Seletiva de Kart Petrobras, em 2004 e 2005, mas não conseguiu conquistar o prêmio. “Estive bem perto de vencer em outras oportunidades e acabei não conseguindo. É algo que faz falta para mim e quero tentar novamente. Ganhar a Seletiva de Kart Petrobras é derrotar todos os adversários no comparativo direto, o que valoriza o título e principalmente a imagem do piloto”, analisa. Esta será sua única competição de kart no ano (sem considerar a provável participação nas 500 milhas da Granja Viana, que tem caráter mais festivo que competitivo). A confirmação da presença de um piloto da Fórmula 3 Sul-Americana, que reúne quatro títulos brasileiros de kart, enriquece o evento e faz da etapa de Anápolis (GO) uma das mais interessantes da temporada. É também um incentivo a mais para os pilotos locais, que agora precisam superar um dos melhores kartistas dos últimos anos para chegar à final. “A chegada da Seletiva de Kart Petrobras é uma conquista da federação. Se o autódromo não recebe eventos nacionais, pelo menos contamos com as grandes competições do kartismo”, afirma José Ney Lins Rocha, presidente da Federação Goiana de Automobilismo. A declaração condiz com a realidade. Enquanto o autódromo aguarda uma reforma para voltar ao calendário do automobilismo brasileiro, os kartódromos locais andam bem movimentados. É a segunda passagem da Seletiva de Kart Petrobras pelo Estado. A primeira foi em julho, na pista de Itumbiara (GO), durante o Campeonato Brasileiro de Kart. Agora, a corrida que define mais um finalista é válida pelo Super Centro-Oeste de Kart, torneio que reúne um bom número de participantes em razão do baixo custo de inscrição e alto nível de competitividade.