CONFIRA AS DECLARAÇÕES DOS PILOTOS QUE DISPUTARAM A COPA SORRISO

07/02/2007
Confira as declarações retiradas dos releases das assessorias de imprensa dos pilotos que disputaram a Copa Petrobras Sorriso Campeão. LÉO GIMENES (CADETE): “Foi uma linda prova. Andei bem e fiquei bastante satisfeito com o desempenho do chassi Birel, que estreei nesta prova. É um chassi novo para mim, que estava acostumado com outro, mas acho que me adaptei bem”. ALEXANDRE RUIZ FILHO (GRADUADOS): “Foi um ótimo resultado. Mesmo tendo o azar de receber um motor mais fraco, consegui um melhor na final e pude me recuperar bem. Comemorei bastante o resultado, pois fiquei na frente de vários pilotos com alguns anos de experiência na Graduados”. VICTOR CARBONE (GRADUADOS): “Estou bastante satisfeito, porque era uma prova de estréia na categoria mais difícil do kartismo brasileiro, que reunia pilotos da própria Graduados, com muita experiência já de anos anteriores, pilotos que vieram da Novatos e pilotos promovidos da Júnior, categoria que eu disputava ano passado. Andei bem, não me assustei com as ‘feras’ e estou contente. Acho que ainda tenho muito que assimilar na categoria, mas penso que poderei fazer uma bela temporada”. FELIPE GUIMARÃES (GRADUADOS): “Foi muito difícil. A corrida foi muito equilibrada. Como os motores foram sorteados, todo mundo “virava” igual na pista. Consegui poupar um pouco de equipamento no final da segunda bateria e ir para cima. Deu tudo certo e consegui a classificação. Consegui no começo da corrida ficar perto dos lideres. Ai na parte final fui para cima buscar a vaga da Seletiva. No finzinho tive que arriscar passar o Dias se não poderia ser ultrapassado. Graças a Deus deu certo e cheguei em segundo”. VINÍCIUS SAMMARONE (GRADUADOS): “A Copa Sorriso foi muito importante para o meu aprendizado e meu batismo na categoria. Os pilotos que vieram da categoria Júnior são extremamente rápidos e, além deles, tem os que já estavam na categoria. Será um ano de muita competitividade, mas estou certo que faremos uma grande temporada”. CLEMENTE FARIA JR. (GRADUADOS): “Foram sorteados motores para os 32 pilotos da prova. Infelizmente o meu não teve o rendimento esperado. Eu perdia muito na retomada de curvas e não conseguia me aproximar dos ponteiros. A categoria já é bem equilibrada. Qualquer tempinho que se perde é muito difícil recuperar. Tive que desviar de um enrosco na minha frente e perdi muitas posições. O máximo que deu para fazer depois foi chegar em 7º”. HENRIQUE MARTINS (GRADUADOS): “Foi uma boa estréia e fiquei bastante satisfeito por ter conseguido me manter na pista no pelotão da frente. Na metade da corrida final meu motor começou a perder rendimento e fui ficando para trás, e por isso o resultado não refletiu o nosso potencial para essa prova. Mas valeu a disputa e dividir a pista com um pessoal forte como esse representou uma grande experiência para mim. O kartismo de São Paulo tinha terminado o ano passado com poucos pilotos, mas renasceu e mostrou toda sua força na Copa Petrobras Sorriso Campeão. Muita gente que já tinha deixado a modalidade voltou a competir nesse torneio e o evento foi muito bem organizado. Por tudo isso, tivemos um começo de temporada ótimo tanto pelo que aconteceu na pista, quanto pelo que foi feito fora dela”. DOUGLAS HIAR (GRADUADOS): “Já na tomada de tempos percebi que não estava com muita sorte. No sorteio fui o primeiro e tive que abrir a pista na tomada de tempos. É muito pior, porque a pista nem o motor estão na temperatura ideal. E nas provas então, mais azar. Mas faz parte da vida do piloto não ter um bom dia também”. JOÃO ABREU (JÚNIOR): “Não tive como evitar, a oportunidade apareceu e eu tinha que passar, então coloquei o kart por dentro da curva, mas acabamos nos tocando, é coisa de corrida! Ainda me recuperei e consegui o segundo lugar na prova, foi muito bom!”, disse o piloto. “Esta foi apenas a primeira disputa da temporada e deu pra sentir que o equipamento é bom e a equipe está afinada. A temporada promete”. GABRIEL TOJAL (GRADUADOS): “Melhoramos o acerto do kart do treino classificatório para a corrida, e fui para a pista pensando na vitória. Infelizmente meu kart apresentou problemas, porque sem dúvida eu poderia ter brigado na frente. Foi uma pena porque meu kart estava muito rápido e o resultado final não refletiu o nosso potencial. O que me deixou muito satisfeito, também, foi o fato de 32 pilotos terem alinhado para as corridas deste fim de semana na categoria Graduados, o que prova que o kartismo de São Paulo ainda tem força e só precisa de eventos bem organizados como este para voltar a ter grids cheios”.