RAFAEL SUZUKI BRILHA NA FINAL E LEVA R$ 100 MIL DA SELETIVA

22/11/2007
Era a última chance. Recordista de participações na Seletiva de Kart Petrobras – foram cinco em seqüência – o paulista Rafael Suzuki aproveitou bem a oportunidade que restava para garantir o prêmio em dinheiro oferecido ao campeão do evento, encerrado nesta quarta-feira (21), em Piracicaba (SP). No total, embolsou R$ 100 mil, quantia que vai ajudar a completar o orçamento para 2008. Não havia melhor momento: a partir do ano que vem, o piloto, que tem 20 anos, não poderá participar por estar fora da idade limite. O cheque foi mais do que merecido pelo que fez em dois dias de competição. Foi o mais rápido nas tomadas de tempo, teve a tranqüilidade necessária nas provas eliminatórias e ganhou as duas baterias finais. Passando por cima até dos problemas: precisou abandonar na segunda eliminatória. Só não foi para a repescagem porque liderava a pontuação e o regulamento garantia sua passagem às finais. “Serviu para eu acordar. Foi bom para manter o foco”, disse o piloto, que já havia conquistado o vice em 2005. Rafael Suzuki, que já começou sua carreira no automobilismo, estava no Brasil especialmente para disputar a Seletiva de Kart Petrobras. Ainda nesta quarta-feira, de sorriso na cara, embarcou para a Malásia, onde disputará uma prova de Fórmula 3. “Vou investir o dinheiro em carro de corrida, mas ainda não sei onde. O que eu quero é aproveitar o que conquistei fazendo o que mais gosto. É o melhor momento da minha carreira”, comemorou. O título veio, por assim dizer, logo na primeira curva. Sua única ameaça era César Ramos, que se enroscou com Douglas Hiar na largada e perdeu contato com os líderes. “Eu vi que ele ficou, mas nem pensei nisso. Tinha um kart muito bom e não quis aliviar. Eu não brinco. Lugar confortável é o primeiro”, disse Rafael Suzuki. “Estou frustrado por não ganhar, o Suzuki mereceu, mas o fato de baterem em mim nas duas baterias finais me deixou chateado”, contou César Ramos, o vice, que não saiu de mãos vazias. O piloto, atual campeão do torneio de inverno da Fórmula Renault Italiana, ganhou R$ 10 mil pelo segundo lugar na Seletiva de Kart Petrobras. Sua boa performance, em alguns momentos, atormentou a vida de Rafael Suzukii. “Pareceu simples, mas foi suado. Não é só pelo prêmio. Ganhar a Seletiva representa bater os melhores pilotos em condições de igualdade e isto é o mais importante”, analisou o vencedor. “Este título tirou um peso das minhas costas. Valeu a pena insistir”, concluiu. Na opinião de Binho Carcasci, promotor da Seletiva de Kart Petrobras, o que levou Rafael Suzuki ao prêmio foi a concentração. “Apesar das condições de igualdade, ganhou aquele que se preparou melhor, o que parecia mais focado. A Seletiva, mais do que técnica, exige concentração. É o que leva um piloto a vitória e isto ficou comprovado mais uma vez”, acrescentou. Thiago Gonçalves da Luz, da gerencia de patrocínio esportivo da Petrobras, destacou a importância do evento. “Desde 1999, a Seletiva tem sido um ótimo meio de proporcionar uma chance aos jovens pilotos, trabalhando com kartistas e com aqueles que ainda estão começando no automobilismo. Não patrocinamos pilotos individualmente, mas premiamos os melhores anualmente, o que representa uma ajuda decisiva para eles. Com o prêmio, os garotos podem planejar seus primeiros passos”, afirmou. A lista dos campeões da Seletiva agora tem Danilo Dirani, Julio Campos, Sergio Jimenez, Rafael Daniel, Guilherme de Conto e Rafael Suzuki.