SUZUKI APOSTA NA EXPERIÊNCIA NA DISPUTA PELO PRÊMIO DA SELETIVA

02/12/2005
Pilotos, em geral, não gostam de falar sobre os adversários. Evitam os comentários, poupam os elogios e são econômicos nas críticas. Arrancar palavras positivas de um concorrente direto é privilégio apenas dos mais talentosos. E o paulista Rafael Suzuki conseguiu este feito. Na final da Seletiva de Kart Petrobras do ano passado, o campeão Rafael Daniel chegou a afirmar que sua maior ameaça na decisão do evento seria Rafael Suzuki, se o garoto não tivesse sofrido um acidente na semifinal. “Ele é o piloto mais rápido da nova geração”, elogiou. Aos 18 anos de idade, agora ele tem mais do que talento. Tem experiência de sobra para estar entre os favoritos ao prêmio da Seletiva de Kart Petrobras de 2005, que será disputada nos dias 13, 14 e 15 de dezembro, em Brasília (DF). A bagagem de Rafael Suzuki aumentou neste ano. Ele disputou a temporada do Campeonato Europeu de Kart e foi um dos representantes brasileiros no Mundial da modalidade, em Portugal. Sem contar as duas participações em edições anteriores da Seletiva de Kart Petrobras, que fazem toda a diferença. Rafael Suzuki aprendeu o caminho para ganhar o prêmio, que nesta temporada será de R$ 70 mil para a Graduados A. “Não adianta apenas ser rápido, é preciso correr pensando no regulamento. A bateria que vale mesmo é a última. Para ficar com o prêmio, primeiro o piloto tem que chegar lá. É o que eu vou fazer”, promete o piloto, que no ano passado ficou fora da briga depois de bater com Sérgio Jimenez. Na primeira oportunidade, também havia sido eliminado na segunda fase. Rafael Suzuki ainda não pensou no que pode fazer com o prêmio da Seletiva de Kart Petrobras. Quer correr de fórmula, mas prefere não falar muito sobre o assunto. “Prefiro esperar para ver o que acontece”, afirma. A parada é das mais difíceis, realmente. Serão doze pilotos disputando o cheque em igualdade de condições, com karts sorteados pela organização. “Nas outras corridas sempre há um favorecimento, é natural. É na Seletiva que você mostra se pode superar os demais com a mesma qualidade de equipamento. Todo mundo se encontra com o mesmo nível de kart e aquele é o momento de provar do que você é capaz”, analisa. Para provar do que é capaz, ele precisa superar onze concorrentes selecionados ao longo do ano nas mais diversas pistas de kart. Seus adversários serão Guilherme de Conto, Mario Romancini, Claudio Cantelli, Caio Zanani, Sérgio Jimenez, Clemente Faria Jr., Vinícius Quadros, Lucas Rodrigues, Lucas Finger, Dennis Dirani e o equatoriano Fernando Cevallos. Em igualdade de condições, é impossível prever o vencedor. Além da briga pelo prêmio da Graduados A, existe também uma disputa paralela na categoria Graduados B, que tem seis finalistas: Leonardo Cordeiro, Fabiano Machado, Gabriel Dias, Douglas Hiar, Tales Dias e Guilherme Camilo. O vencedor desta categoria leva R$ 18 mil.